quarta-feira, 28 de setembro de 2011

NOVA ORTOGRAFIA: acentuação e os casos de dupla grafia

De acordo com a Nova Ortografia, algumas palavras admitem dupla grafia no que se refere à acentuação gráfica. Assim, é facultativo:

1. Usar o acento circunflexo (^) ou o agudo (´) nas palavras em que as pronúncias cultas da vogal tônica aceitam variação, sejam elas oxítonas, paroxítonas ou proparoxítonas. Se a vogal tônica da língua culta soa fechada, recebe acento circunflexo; se soa aberta, recebe acento agudo.
Exemplos:
matinê ou matiné
cocô ou cocó
fêmur ou fémur
ônix ou ónix
ônus ou ónus
pônei ou pónei
Vênus ou Vénus
acadêmico ou académico
cômodo ou cómodo
efêmero ou efémero
gênio ou génio.

2. Usar o acento circunflexo para marcar a oposição entre as seguintes palavras: dêmos (1ª pess. pl. pres. do Subjuntivo) e demos (1ª pess. pl. pret. perf. Indicativo) fôrma (substantivo) e forma (substantivo ou verbo).

3. Grafar-se com acento agudo (´) ou não acentuar os verbos aguar, apaziguar, apropinquar e delinquir. Exemplos: Águe ou ague averíguo ou averiguo.

Fontes: Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, 5ª edição, Bases VIII a XIII. Escrevendo pela Nova Ortografia, do Instituto Antônio Houaiss.

Um comentário:

Ranon de Amorim Machado disse...

Essa regra do uso facultativo em certas palavras (APAZIGUAR, AGUAR...), deveria ser revista ou até mesmo eliminada, pois a simples ausência da acentuação muda a posição da sílaba tônica, criando uma nova sílaba ao desfazer o ditongo, por exemplo. não é a mesma coisa. Desdiz a regra da acentuação gráfica nas palavras paroxítonas terminadas em ditongo. Toda regra tem exceção, desde que tenha coerência.